quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Culto Racional - Parte 02 :: Mantras ::

Já tive a oportunidade de frequentar vários "Congressos de Avivamento" e em todos, pude perceber que grande parte do tempo era dedicado ao louvor. Sempre gostei de música e confesso que por muito tempo fui atraído pelo ritmo contagiante e não pelo conteúdo. Hoje me vejo mais crítico e com uma percepção bem mais aguçada para esse tipo de armadilha. As vezes me pegava de olhos fechados, banhado em lágrimas repetindo incansavelmente um mesmo verso musical sem ao menos meditar no que estava dizendo enquanto as luzes eram apagadas e os músicos contribuíam para criar uma atmosfera acolhedora e envolvente com os seus recursos e instrumentos.

Um dia comecei a observar que, durante o período de louvor, as pessoas se manifestavam diferente em relação às músicas. As canções que não se resumiam a trechos e repetições eram entoadas, digamos que, normalmente. Mas quando o dirigente começava a insistir exaustivamente para que a igreja cantasse inúmeras vezes um mesmo verso, a grande maioria começava a entrar num estado de êxtase. O choro era derramado em questão de minutos, pessoas se ajoelhavam, outras gritavam e começavam a agir como se estivessem fora de controle. Um tanto estranho, não acha? Muitos podem até achar também, mas é bem mais cômodo atribuir isso à ação do Espírito Santo e não questionar nada. Em I João 4:1 somos conselhados a não crer em tudo o que nos é proposto: "Amados, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque já muitos falsos profetas se têm levantado no mundo." Paulo também nos adverte quanto a isso: "Examinai tudo. Retende o bem."  I Tessalonicenses 5:21 

Essas repetições são chamadas de mantras. Os mantras são orações em forma de melodia que, segundo os hinduístas, possuem uma energia sonora que movimenta outras energias que envolvem quem os entoa. "Nossa mente é muito 'dura'. Por isso ela precisa ser massageada com os mantras, para dissolver a sua rigidez e os seus bloqueios. Tudo o que precisamos fazer é relaxar o máximo possível enquanto repetimos ritmicamente as sílabas do mantra, em voz alta ou silenciosamente." Bel Cesar. Outro autor norte-americano afirma que "esta sinergia é estratégica para a obtenção da persuasão plena, sendo assim um forte reforço para a convicção do adepto (...) Esta técnica repetitiva deve ter sua origem na descoberta do mecanismo da mente de aceitar como verdade uma frase repetida ou ouvida muitas vezes." Robert Yelle.

Os budistas, como afirma o autor, acreditam que repetir várias vezes uma mesma frase, condiciona a mente a aceitar como verdade o que é dito atraindo o que se deseja. Interessante notar que Jesus se refere a esse tipo de prática quando diz: "E. orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos." Mateus 6:7

Você já brincou de ficar repetindo uma mesma palavra várias vezes? Faça isso e aos poucos vai ver que ela vai perdendo o sentido. Segundo a neurologista Denise Menezes, o cérebro passa a barrar os estímulos, impedindo que cheguem ao córtex, região que processa atenção, consciência, percepção e pensamento. "Nós produzimos o som, mas já não processamos a informação". Já para o psicólogo e professor da USP, Antonio Carlos, "quando uma palavra é repetida de forma monótona, o nosso foco de atenção muda, ficamos distraídos por causa da repetição e não processamos a informação como deveríamos". Por último, profissionais de linguística afirmam que "a repetição faz com que a pessoa se afaste do significado da palavra (o conceito) para se aproximar de seu significante (a sonoridade). Deixamos de nos relacionar com o que a palavra significa para nós e passamos a prestar atenção apenas no som."

O nosso culto deve ser prestado de forma racional, como alerta Paulo: "Que farei, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento." I Coríntios 14:15. O salmista ainda reforça: "Pois Deus é o Rei de toda a terra, cantai louvores com inteligência" Salmos 47:7. Enquanto os nossos olhos físicos permanecem fechados em louvor, os nossos olhos espirituais devem permanecer abertos e atentos ao que a nossa boca declara para que não sejam apenas palavras lançadas ao vento.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Culto Racional - Parte 01 :: Introdução ::

Embora não tenha feito faculdade de psicologia, sempre gostei de pesquisar sobre assuntos que dizem respeito ao comportamento humano. Um colega meu, que foi assistir o jogo da Colômbia na Copa, me disse que no momento em que a torcida colombiana cantava o hino, ele sentiu um enorme desejo de participar da celebração junto com os demais torcedores: ''Quase virei colombiano, de tanto que aquilo me envolveu." disse. Freud explica que, em situações grupais, o ser humano fica completamente vulnerável a fenômenos como esse.

No texto "Psicologia de Grupo e Análise do Ego", alguns teóricos afirmam que em reuniões de grupos, desde que haja um ideal em comum, uma interação sob forma de rivalidade ou que exista uma estrutura hierárquica bem definida, o intelecto do indivíduo, o intenso aumento da afetividade e o aumento da influência dos indivíduos podem se tornar completamente vulneráveis à situação. É o que aconteceu em agosto desse ano, durante o jogo do Grêmio contra o Santos. A torcida, quase unânime, começou a chamar o goleiro Aranha de macaco e a torcedora Patrícia Moreira, que foi flagrada pelas câmeras participando desse ato, teve que responder judicialmente por sua afronta. 

Em Recife, durante a greve da Polícia Militar, 200 lojas foram saqueadas em plena luz do dia. Vários cidadãos, que passavam por ali, foram tomados pelo "calor do momento" e acabaram participando do roubo das mercadorias. Pouco tempo depois, retornaram arrependidos devolvendo os produtos furtados. Esse é mais um dos inúmeros casos em que se prova o quão suscetível estamos quando a adrenalina e as emoções afloram os nossos sentidos.

video

Que o nosso cérebro está passível a sofrer e compartilhar toda essa carga emocional, isso não é novidade.  Seria muita imaturidade também fechar os olhos e não reconhecer que essas técnicas emocionais conquistadas por meio da música, do grito, do apelo vibrante e perturbador estão presentes nas igrejas. O apóstolo Paulo, inspirado pelo Espírito Santo, (pois não tinha acesso a livros e artigos sobre o assunto) alertou a igreja sobre a necessidade de analisar as escrituras com cautela afim de não cair em armadilhas e técnicas humanas. A medida que vamos examinando com cuidado a palavra de Deus, começamos a desmistificar várias doutrinas falsas que estão sendo injetadas aos poucos em nossas igrejas e no nosso coração.

Paulo sabia que o verdadeiro evangelho poderia causar desconforto e perseguição, mas mesmo assim, todas as suas discussões eram feitas unica e exclusivamente baseadas nas Escrituras. Em Lucas 17:10-11, Paulo e Silas estão fugindo de Tessalônica para uma cidade chamada Beréia, e lá, foram recebidos de forma diferente. "Os boreanos eram mais nobres do que os tessalonicenses, pois receberam a mensagem com grande interesse, examinando todos os dias as Escrituras, para ver se tudo era assim mesmo." A fé cristã é racional. Os boreanos examinavam as escrituras para ver se tudo era assim mesmo. É esse o cuidado que precisamos ter.

Que o nosso desejo e que a nossa busca pela verdade única, que é a palavra de Deus aumente a cada dia. "Para que não sejamos mais meninos inconstantes, levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente." Efésios 4:14

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Pastor de Ovelhas - Parte 03

"Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas. O assalariado não é o pastor a quem as ovelhas pertencem. Assim, quando vê que o lobo vem, abandona as ovelhas e foge. Então o lobo ataca o rebanho e o dispersa. Ele foge porque é assalariado e não se importa com as ovelhas. Eu sou o bom pastor [...] e dou a minha vida pelas ovelhas." João 10:11-18

Pra você que acha que Deus está lá em cima, observando seus filhos de um camarote e torcendo para que eles vençam os ataques do inimigo, sugiro que releia o trecho citado acima. Jesus diz que está cuidando durante todos os momentos das suas ovelhas. Ele não foge quando o inimigo vem querendo atacá-las. Pelo contrário, ele é um pastor presente, que cuida e protege dos que são seus. Essa é a segurança que nós temos que sentir. Se não fosse assim, Ele não teria feito essa comparação com o assalariado que abandona as ovelhas quando elas mais precisam.

O apóstolo Paulo reforça essa garantia à igreja de Corinto: "Ele os manterá firmes até o fim, de modo que vocês serão irrepreensíveis no dia de nosso Senhor Jesus Cristo." I Coríntios 1:8. É o nosso pastor que nos mantém firme. Ele é a nossa rocha, o nosso sustento. Não é por força própria! O salmista Davi também afirma que, mesmo se sofrermos algum ataque do inimigo, o Senhor, o nosso pastor, é quem vai nos sustentar. "Os passos de um homem bom são confirmados pelo Senhor, e deleita-se no seu caminho. Ainda que caia, não ficará prostrado, pois o Senhor o sustém com a sua mão." Salmos 37:23-24

Sem dúvida essa é a garantia mais regozijante que podemos encontrar em toda a escritura. A certeza de que, se sou uma ovelha pertencente a Jesus, jamais deixarei de ser. Ninguém e nenhum ataque poderá nos separar dessa proteção. O próprio Jesus afirma isso: "As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem; E dou-lhes a minha vida eterna, e nunca hão de perecer, e ninguém as arrebatará da minha mão. Meu Pai, que me deu, é maior do que todos; e ninguém pode arrebatá-las da mão do meu Pai." João 10:27-28.

Obrigado, meu Deus, pela garantia que posso ter em Ti. A sua palavra diz claramente que o Senhor é quem nos guarda, nos protege, nos livra, nos mantém firme, nos sustém e não permite que pereçamos! Quando leio isso, reforço a ideia de total dependência e é por isso que peço, me ajude a vencer esse mundo e ser uma ovelha que só tem ouvidos para a voz do meu único pastor. Obrigado pela certeza de que a salvação não é algo que se perde e nem se conquista, mas é um presente dado a nós, única e exclusivamente, pela graça de Deus.



domingo, 26 de outubro de 2014

Pastor de Ovelhas - Parte 02

"Eu sou o bom pastor; o bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas." João 10:11

Quando Jesus fez essa comparação, Ele tinha acabado de curar um cego e estava sendo questionado pelos fariseus, pois estes ainda não tinham conseguido reconhecer que Ele era o legítimo filho de Deus. O cego espiritual não consegue discernir a figura do seu pastor, por isso que Jesus, na sequência, fez essa comparação: 

" ...Aquele, porém, que entra pela porta é o pastor das ovelhas. A este o porteiro abre, e as ovelhas ouvem a sua voz, e chama pelo nome às suas ovelhas, e as traz para fora. E, quando tira para fora as suas ovelhas, vai adiante delas, e as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz." João 10:2-4

video

Gosto de analisar ponto a ponto, cada detalhe, pois acredito que a bíblia é a fonte da mais perfeita inspiração de Deus aos homens. Note que o pastor é que vai até às ovelhas e não as ovelhas que procuram o pastor. É o pastor que chama as ovelhas e não as ovelhas que chamam pelo pastor. Eu já ouvi muitos líderes em apelos dizendo: "Dê uma chance pra Deus. Ele está te esperando! Aceite a Jesus!" quando na verdade é Deus quem nos aceita. É ele quem vai até o rebanho e nos chama e todas as ovelhas que são dEle o seguem.

Aí temos outro ponto interessante porque Ele diz: "as ovelhas o seguem, porque conhecem a sua voz". Se invertermos essa frase, o sentido mudaria completamente. Perceba que primeiro elas conhecem a voz e depois seguem e não reconhecem a voz porque já estão seguindo. Essa simples inversão mudaria todo o contexto da parábola.

A bíblia nos conta que alguns judeus, que ouviam o discurso de Jesus, chegaram a pegar em pedras para o apedrejar e Ele, reforçando a essência da parábola disse: "Eu já lhes disse, mas vocês não creem. As obras que realizo em nome de meu Pai falam por mim, mas vocês não creem, porque não são minhas ovelhas. As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem." João 10:25-27

Os olhos e os ouvidos daqueles que não são suas ovelhas estão tampados, os impedindo de reconhecer a pessoa de Jesus. Os que são, de fato, suas ovelhas, reconhecem a voz e o seguem.  O pastor chama. Os que são suas ovelhas ouvem e o seguem. Não são as ovelhas que procuram o pastor e escolhem a quem seguir. É Jesus que as chama! As que forem suas ovelhas, ouvirão e seguirão Ele.

sábado, 25 de outubro de 2014

Pastor de Ovelhas - Parte 01

Antes de abordar o tema central - João, capítulo 10 - onde o próprio Jesus se referiu a si mesmo com um pastor de ovelhas, resolvi pesquisar um pouco sobre como era essa profissão em Israel. Achei bastante material sobre o assunto. 

O que me chamou mais atenção, é que, mesmo andando em rebanho, as ovelhas são animais inocentes e sensíveisElas não possuem nenhum mecanismo de defesa e isso as deixa totalmente vulneráveis aos predadores. 

A criação de ovelhas era uma das atividades econômicas mais comuns de Israel. As ovelhas eram guardadas em apriscos alugados pelos proprietários. Em um aprisco existiam vários rebanhos de donos diferentes. O pastor chegava no início do dia, chamava as ovelhas e as que reconheciam a voz dele saíam e o seguiam. Aqui encontro outra característica interessante desses animais - as ovelhas tem uma boa memória. Vocês sabiam que elas são capazes de reconhecer a voz e a face dos humanos? Por isso que a figura de um pastor único e exclusivo para cada grupo de ovelhas era importante.

Em algumas regiões secas, os pastores tinham que conduzir o rebanho até o local de alimento e retornar com ele antes do fim da tarde. Esse percurso tinha que ser exercido por uma mesma pessoa todos os dias. As ovelhas reconhecem o seu pastor pela voz, se negam a comer e a seguir algum estranho. Algumas crianças eram instruídas desde cedo a cuidar de novos rebanhos para que, ao longo da vida, os animais se familiarizassem com elas.

Abraão, Moisés e Davi foram pastores de ovelhas. O último, em seu salmo, declara: "O Senhor é o meu pastor e nada me faltará. Salmos 23:1Li que algumas ovelhas podem até mesmo se assustar com o seu próprio reflexo na água, daí o trecho em que o autor retoma a necessidade de um pastor presente para cuidar e conduzi-las a um caminho tranquilo e seguro. "Em verdes pastagens me faz repousar e me conduz a águas tranquilas." Salmos 23:2.

Em João 10, o próprio Jesus nos compara a ovelhas e diante dessas características, não dá pra ter dúvida que somos inocentes, frágeis, vulneráveis e que necessitamos da figura de um pastor para nos guiar em todo e qualquer momento. Que Ele nos faça reconhecer a nossa total dependência dEle todos os dias.


sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Jesus, o Sumo Sacerdote

Ontem eu estava assistindo o debate com os candidatos à presidência do país e um fato me chamou muito atenção em meio a tantas acusações. Nenhum pretendente teve a coragem de reconhecer diante dos outros, mesmo com provas, algum erro cometido. Seria tão humano e maduro se, pelo menos um, admitisse suas falhas de governo.  Talvez para o marketing político, atitudes como essas não sejam tão interessantes assim, e na nossa vida espiritual algo bem semelhante acontece.

A partir do momento em que reconhecemos a nossa natureza pecaminosa, o pecado passa a incomodar sempre que o praticamos. É normal "ouvir" uma voz acusadora no consciente insistindo em nos martirizar com o medo e a vergonha. Cada vez que pensamos em ajoelhar para falar com Deus somos tomados por um receio, afinal sabíamos o que era correto, mas não o praticamos. Todo o cristão já passou por isso.

Assim como os candidatos no debate, muitas vezes nós relutamos em reconhecer o nosso erro diante dos homens e principalmente diante de Deus e isso dá abertura ao nosso inimigo para a acusação, mas o nosso Pai é tão perfeito que, sabendo disso, enviou Jesus para ser o nosso sumo sacerdote diante dEle.

Os sumos sacerdotes eram autoridades religiosas responsáveis por interceder pelo povo e levar a Deus - através do Santo dos Santos - as ofertas e os sacrifícios de animais. Jesus é o nosso sumo sacerdote - aquele que está assentado ao lado de Deus - que, por já ter tomado a forma humana, reconhece as nossas fraquezas e pode pedir ao Pai o perdão e a misericórdia. Ele recebe as nossas súplicas não com acusação, e sim com misericórdia.

"...Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém, um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado. Cheguemos, pois, com confiança ao trono da graça, para que possamos alcançar misericórdia e achar graça, a fim de sermos ajudados em tempo oportuno." Hebreus 4:14-16

O maior remédio contra a acusação é o reconhecimento próprio do erro e a sua respectiva confissão.

Meu Deus, sei que sou pecador. O diabo não pode me acusar de nada, pois já reconheço o meu erro e sei que é só em ti que posso encontrar alívio e perdão. Me ajude a mudar e ser um filho obediente. Em nome de Jesus, o meu bom sumo sacerdote, amém.

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Cineminha a Dois - A Vida é Bela

Com a incrível atuação de Roberto Benigni, o filme A Vida é Bela, é sem dúvida o melhor filme de drama de todos os tempos. O filme se passa na época da Segunda Guerra Mundial. Guido - um judeu - é mandado, juntamente com o seu filho Giosuè para um campo de concentração e lá, afastado de sua mulher, usa a usa imaginação para não deixar que o menino perceba que está em um ambiente de horror e perigo, o fazendo acreditar que tudo não se passa de um simples jogo. 

Faltam adjetivos para descrever a grandeza de lições que podemos extrair dessa obra de arte. Vale a pena.